“Jovens do Prenda” com metais pesados no “Show do Mês”

Cultura

20 de Abril de 2017

Default template
Image

"Jovitos" do Prenda com inovação no Show do Mês

O conjunto musical Jovens do Prenda apresenta-se dias 28 e 29 próximos, no “Show do Mês”, o espectáculo musical mensal organizado pela promotora Nova Energia, tendo como palco o auditório do Royal Plaza Hotel, em Talatona, Luanda Sul. 

 

 

A novidade dessa apresentação é a inclusão de três músicos de nacionalidade cubana, que se ocuparão dos metais, a gíria musical que designa os elementos do sopro. O naipe de sopristas será composto por trompete, trombone e saxofone, instrumento que será tocado por uma mulher, algo inovador no nosso music-hall.  

 

A ensaiar em regime diário – há folgas ao sábado e ao domingo – há já duas semanas sensivelmente, numa residência no Bairro Miramar, em Luanda, o grupo promete um espectáculo de qualidade, naquele que será o segundo da terceira temporada do “Show do Mês”, aberta em Março último com uma apresentação de Aline Frazão.

 

Num aplaudido regresso ao passado das décadas de 1970 e 1980, a banda que durante anos a fio foi liderada por Zé Keno, vai cantar os seus mais badalados sucessos no espectáculo denominado “Jovens do Prenda – A homenagem”. Com dois fundadores ainda no activo – Chico Montenegro (bongós) e Didi da Mãe Preta (reco-reco) – a emprestarem as respectivas vozes, ao lado do vocalista principal Augusto Chakayá, o espectáculo será também um repositório de memórias, além de estruturado em formato de linha do tempo, começando pelas músicas mais antigas e terminando com as mais recentes.

 

A vozes de Dom Caetano, um antigo integrante da banda, assim como de Miau e do jovem sembista Nizinga serão ouvidas na qualidade de convidados especiais para as noites de sexta-feira e sábado próximos, as quais seguramente configuram das mais importantes expressões da Música Popular Urbana de Angola dos últimos tempos. 

 

Além do trio de vozes e de “nuestros compañeros” nos metais, “Os Jovitos”, como também são carinhosamente chamados pelos seus seguidores, vão apresentar-se com Baião (contra-solo), Zé Mueleputo (solo), João (bateria), Calily Timóteo (baixo), Zé Luís (rítmo), Josué (teclado) e Esteves (tumbas).

 

Conforme refere nota da organização do espectáculo no Facebook, o agrupamento Jovens do Prenda foi criado em 1968, com o nome Jovens do Catambor, mais tarde alterado para Jovens da Maianga. Aconselhados, entretanto, por Manguxi, o promotor cultural e proprietário do célebre Salão Braguês, os elementos da banda aceitaram mudar novamente de nome, isto em 1969. Assim, adoptaram a designação Jovens do Prenda porque o certo era denominar o grupo com o nome do bairro de onde os seus membros eram provenientes, como argumentara então o empresário que também se dedicava ao aluguer de aparelhagens de som, numa altura em que esses meios eram caríssimos.

 

A formação de Os Jovens do Catambor já possuía um leque impressionante de músicos, onde se destacavam nomes como Manuelito Maventa, (viola solo), Zeca Kaquarta, (tambor), Napoleão (pwíta), e Juca (dikanza). O icónico Zé Keno incorporou-se pouco depois da fundação, saído de um outro grupo, Os Sembas. Após essa aquisição de luxo, em 1969, a primeira formação de Os Jovens do Prenda teve Zé Keno (viola solo), Zé Gama (baixo), Luís Neto (voz), Kangongo (tambor baixo) e Chico Montenegro (tambor solo), numa época em que as bandas usavam ainda pouquíssimos instrumentos.




geral@correioangolense.com

tag: